O objetivo principal da minha viagem é conhecer o Norte do Brasil, então por que Goiânia? O fato é que o início da minha viagem coincidiu com a Semana Santa em Abril, e há algum tempo que eu tinha vontade de ver a Procissão do Fogaréu, que acontece na cidade de Goiás, a 130km de Goiânia. Considerando também que de Florianópolis a Belém há uma distância considerável, optei então por dividir o trecho e fazer algumas paradas pelo caminho. De Florianópolis a Goiânia viajei de avião, diferentemente dos demais trechos que fiz na sequência. O motivo é simples, a passagem de avião estava saindo muito mais barata que a de ônibus para o mesmo trecho. O aeroporto mais próximo a Cidade de Goiás, meu destino, é Goiânia, então resolvi passar 3 dias por lá e conhecer um pouco a cidade.

Detalhe de pulseiras do Divino Pai Eterno

Em Goiânia, me hospedei através do Couchsurfing. Para quem não conhece, Couchsurfing é um aplicativo que conecta viajantes a pessoas que estão abertas para te receber em suas casas. O objetivo aqui é a troca de experiência e conhecer novas pessoas. Eu utilizei o Couchsurfing a primeira vez em Buenos Aires, onde fiquei hospedado 5 dias na casa da Lupe Jelena (ela é excelente fotógrafa e tem um canal de YouTube muito bom, fica a dica) e foi uma experiência maravilhosa, portanto optei por fazê-lo novamente. Em Goiânia, fiquei hospedado na casa da Brenda e sua família, que moram em um bairro mais distante do centro. Assim como em Buenos Aires, novamente tive uma experiência muito positiva e posso afirmar que minha visita a Goiânia não teria sido a mesma se não fosse por estes dias com os “meus hosts” de Goiânia, que me receberam tão bem em sua casa. Já no primeiro almoço, foi preparado a tradicional Galinhada de Pequi, para que eu provasse um prato típico Goiano. Aliás, tenho que dizer que, por si só, a culinária Goiana já é motivo suficiene para uma visita. Poucas vezes comi tão bem na vida como durante os 11 dias que estive em Goiás. Nos outros dias em Goiânia, conheci os famosos e belos parques da cidade, a praça Cívica, que fica em frente ao Palácio do Governo (no entanto o Sr. Ronaldo Caiado não estava lá, já me esperava, ele, em Goiás rsrs), a lindeira Trindade e sua basílica (onde pude ter um gostinho do tamanho da devoção e fé do povo goiano, algo que falarei mais nas próximas postagens) e também a Feira do Cerrado, que acontece ao lado do estádio Serra Dourada, que apesar de pequena vale a visita! Ainda pude provar iguarias como o suco de Bacuri e a polpa de Açaí, que embora provenientes da Região Norte pude provar durante estes dias.

Goiânia me surpreendeu positivamente. Bairros bonitos e modernos, bastante área verde e parques. A cidade é imensa, em termos de espaço territorial. Porém as duas coisas que mais me agradaram foram, nesta ordem: o povo goiano, muito hospitaleiro; e a culinária.

Biscoito de polvilho frito, na Feira do Cerrado – Goiânia / GO

Os dias passaram rápido e, quando me dei conta, já era segunda-feira, dia de seguir minha jornada até o município de Goiás para acompanhar os eventos da Semana Santa. Saindo de Goiânia, são apenas 3 horas de ônibus, que partem com frequência e param nas 3 rodoviárias da cidade.

Santuário Basílica do Divino Pai Eterno – Trindade / GO

Próxima parada, Semana Santa na cidade de Goiás! Você já ouviu falar da Procissão do Fogaréu? Não, então acompanhe o próximo post e descubra este evento imperdível da cidade de Goiás!

Leandro